Image Map A Providência: FILME: THE INVISIBLE    

FILME: THE INVISIBLE




Diretor: David S. Goyer
Elenco: Justin Chatwin, Margarita Levieva, Marcia Gay Harden, Marcos Matthins e Cory Monteith
Ano: 27 de abril de 2007
Gênero: Crime, drama, mistério, fantasia e suspense
Custo: $28,810,113
IMDb: 6,3

Olá, recrutas. Antes de qualquer coisa eu gostaria de agradecer aos que estão lendo essa primeira postagem do meu blog. Desde já, obrigado e espero que continuem sempre aqui, explorando e conhecendo novos filmes, séries, músicas, desenhos, animes... Enfim. Trocando uma ideia sobre o que gostamos e discutindo saudavelmente.

Agora deixando esse papo todo de lado, eu gostaria de saber se vocês acreditam em um plano espiritual que está dentro do nosso? Pois é. Se sua resposta é sim, você vai curtir descontraidamente “The Invisible (O Invisível)”. Se sua resposta é não, você vai acabar curtindo do mesmo jeito.

Composto por um elenco espetacular, Justin Chatwin (Sim, recrutas. Ele é o nosso Goku do filme “Dragon Ball: Evolution”. Essa trágica história cinematográfica, que acabou sujando o nosso querido anime e o nosso querido ator), Margarita Levieva (The Prince), Marcia Gay Harden (Whip it), Marcos Matthins e outros “fucking” atores. O diretor é nada mais nada menos que David S. Goyer. Conhecido por seus trabalhos em Batman Begins, O Cavaleiro das Trevas, Homem de Aço e atualmente, Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

O filme é realmente incrível. A Trama trás uma história fantástica, envolvendo brigas, mortes, almas, pássaros revivendo e um amor platônico que não é tão platônico assim. A destreza que os atores tiveram para bolar uma atuação tão genial para os personagens e o carisma que os mesmos têm, é de total admiração. Você fica com raiva, em que tem horas que você deseja bater nos personagens. Você fica triste, em que tem momentos que você cria um vínculo de compaixão com os personagens. E você também fica apaixonado, em que tem horas que você nota que toda a historia, toda a trama, é focada em um laço de amor e amizade entre os personagens principais.




Você fica apreensivo, pois não sabe o que vai acontecer. E esse mistério acaba aumentando no momento que o clímax da história começa a surgir. Você se sente atraído pelo filme. Isso foi um dos pontos que me fez escolher esse “movie” para recomendar para vocês. Não é qualquer história. É a história. Pois tudo começa em ordem, até você perceber que a trama chega em um caos completo quando o ator principal passa por uma experiência que você fica sufocado, querendo ajuda-lo, mas não pode... Eu vou dá uma ajudinha pra você. Não é spoiler, então não se preocupem.

Nick, que é o personagem badass desse filme, é um garoto bastante inteligente e com uma capacidade incrível de criar poemas, poesias e tal. Ele às vezes, como vocês vão ver, ajuda seus colegas em seus trabalhos em troca de uma grana. Nick possui um amigo, não tão amigo assim, chamado Pete. Ele que acaba tornando a vida de Nick em um inferno. “What The Hell, Pete”. Os dois se amam como irmãos mesmo. Porém, quando acontece uma situação desagradável com uma garota chamada Annie, Nick passa por uma experiência surreal em que qualquer ação que envolva seu estado e o mundo físico, não acontece, ou seja, quando ele joga o livro do colega na prateleira de livros, pra ele a prateleira e os livros caem, mas para o resto da turma isso não aconteceu, nem ele tá ali. Logo, Nick acaba dependendo dela, que no caso, foi a que pôs ele nisso. Essa dependência de um com o outro, é o que faz a trama ser “amazing”. Acontecem várias cenas zikas de meia ação. Nada com explosão, mas bem reais, no sentido de ser tudo básico. Gente... Gente... Não é spoiler, tá?! No final, descobrimos algo que ficamos de boca aberta. Não vou dizer, porque acho que não devo, mas vocês vão falar: A Annie é uma “fucking” garota. Ela tornou a vida do Nick em uma merda, no entanto, ela concertou e ficou tudo firmeza. Infelizmente não para ela.

Mas deixando esse relacionamento de lado, vamos a outro que me deixa puto, triste e feliz. Eu estou falando do laço que Nick tem com sua mãe. Vocês vão notar de imediato que não é nada amoroso. Chego a dizer que é um horror. Porém, a princípio. Ao desenvolver da história, ela vai demostrando que se importa muito com o filhote. Afinal, ela só o tem e ele só a tem. Então os dois precisam se aguentar. Logo, percebemos que entra outro tema nessa história. Drama familiar. Pessoas que estão nessa situação vão com certeza se identificar. Não vou dar mais explicação sobre o assunto, porque vocês vão ver no filme. 

Outra coisa que vocês vão notar nitidamente é uma parte religiosa no filme. Quem é Espirita, ou seja, adepta ou adepto ao espiritismo, vai adorar o filme, pois é doideira. E quem não for, vai adorar do mesmo jeito. O modo como a questão de alma, espirito, é tratada no filme, o torna em um mistério. Tá?! A desenvoltura que vemos na forma como o tema espiritualidade surgi quando vemos o pássaro, que não vou dizer o que vai acontecer, ou o velhinho no hospital, você fica espantado e meio “God, isso acontece mesmo?”. Então essa reação vai ser bastante esperada no filme. Até o que acontece com o próprio Nick é questão de debate, porque é algo desconhecido. E o desconhecido me atrai.




Quando você chega um pouco depois da metade do filme, vai acabar notando que as dúvidas são poucas. “O que vai acontecer?”. Essa é a pergunta que você vai se fazer nessa parte do “movie”. Mas essas dúvidas vão terminar em questão de instantes. Elas acabam instantaneamente uma atrás da outra. Você sabe o que acontece com o Nick. O destino de Annie. Você sabe o que acontece na vida de uma pessoinha amada e uma pessoinha odiada de Annie. E ai você se faz outra pergunta. Como ele não fica com nenhuma dúvida no final do filme depois de tudo que aconteceu? Eu posso explicar.

Eu acho... ACHO. Que depois dessa experiência toda, nova e única que ele teve, tentar se questionar sobre o que ela é, se realmente aquilo tudo que ele passou foi algo real, ou ficar irado por o motivo que aquilo aconteceu, não iria fazer nada mudar. Ele passou e aquilo foi algo novo a acrescentar. Sabe quando você passa por um momento difícil e fica falando “Eu não queria estar aqui. Queria ser fulano. Queria ser a Joelma... Não pera.”, enfim... Quando você reclama tanto e depois fica feliz por ter dado tudo certo e não gostaria de mudar nada, pois você superou aquela fase? É o que acontece com o Nick. Algo triste acontece no final, mas não vou contar também.

Eu gostaria de ressaltar uma parte importante da trama pessoal da Annie. A pessoinha amada dela vai ser um ponto importante também no filme. Como a pessoinha odiada dela. As duas vão mostrar duas faces totalmente diferentes de Annie. Até que no final, vai ser revelada a verdadeira face. Quem ela realmente é.

Bom, recrutas. Eu termino essa matéria sobre “The Invisible” ou “O Invisível” aqui. Recomendo esse filme amazing pra vocês e antes de acabar, gostaria de deixar uma saudade pra vocês. O nosso querido, Cory Monteith, O Finn do Glee e o Owen do Monte Carlo, tem uma pequena participação no filme. Ele era um excelente ator. Então, é isso. Fiquem com o trailer do filme e até a próxima matéria.


TRAILER:







6 comentários:

  1. Parabéns, pelo blog. Este filme pela sua descrição é excelente! Quando tiver oportunidade irei assistilo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Fico feliz que tenha gostado. E assista. É mesmo um excelente filme, isso eu garanto.

      Excluir
  2. Que coisa fofa a ilustração dos super-heróis <3 Apaixonei Hahaha
    Gostei da resenha dessa filme com certeza vou assistir.
    Beijo
    http://www.livricios.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Curto muito esse cenário. Aah, fico feliz que vai assistir o filme. Você vai gostar. :)

      Excluir
  3. Garoto que resenha é essa? hahahaha. Me deu muita vontade de assistir, pelo o que você disse ele parece ser muuuito bom, vou seguir sua indicação. Beijos.
    http://sonhosnabolsablog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Isso só me dá mais motivação para continuar... Seu blog é incrível, tenho que anunciar. E assista mesmo, é super recomendadíssimo por mim.

      Excluir